Ativistas solidários com Lützerath denunciam o crime do Governo Alemão

Esta manhã, um grupo de apoiantes da plataforma Parar o Gás foram à embaixada da Alemanha, em Lisboa, denunciar o crime que é o aumento da exploração de combustíveis fósseis. Um pacto com o diabo entre Governo Alemão, RWE (a empresa fóssil alemã responsável pela mina) e a Políca Alemã, mobilizada para travar a luta pela vida.

Os apoiantes da plataforma Parar o Gás estiveram hoje na embaixada Alemã, para denunciar o crime climático a ser cometido em Lützerath. Esta é a primeira fase de um plano de ação que culminará no bloqueio do terminal de Gás Natural Liquefeito, em Sines, na primavera deste ano. Os ativistas comprometem-se a denunciar os crimes das empresas e governos que nos enviam para o colapso climático, além da interrupção da normalidade nestas empresas, quer nas sedes ou nas infraestruturas.

Em 2022 bateram-se vários recordes de fenómenos climáticos extremos, temperatura, secas, cheias tal como o recorde de emissões de gases com efeito de estufa. Também foi um ano em que se bateram recordes de lucros privados e em que o custo de vida disparou, sufocando ainda mais as pessoas. Estes eventos não aconteceram simplesmente, mas foram fabricados. Não são acontecimentos, mas sim crimes, e os responsáveis pelos mesmos estão conscientes do impacto dos seus atos. A expansão dos combustíveis fósseis retira o dinheiro das carteiras da sociedade portuguesa, enquanto coloca milhares nos bolsos dos acionistas criminosos, ao mesmo tempo, aumenta emissões, criando um clima inabitável. As cheias deste inverno e o frio que está na pele de todos os portugueses são resultados destas ações criminosas.

A plataforma Parar o Gás vai ter a sua primeira assembleia de ação dia 19 de Janeiro, às 19h, na Zona Franca dos Anjos, onde vão iniciar a organização do protesto de massa que bloqueará o terminal de Gás Natural Liquefeito.

Estão prontos para lutar contra os combustíveis fósseis e vão fazê-lo. Os criminosos nunca pararam, nem nunca vão parar, os ativistas estão prontos para serem eles a pará-los.