Perguntas e respostas – Parar o Porto de Gás, 13 Maio em Sines

Sabemos que para além de coragem, precisas de ter alguma informação sobre como será esta ação/protesto. Junta-te às assembleias de ação e eventos para participares ativamente na construção desta ação e teres acesso a mais informação. Para receberes toda a informação sobre a ação preenche o formulário de participação (aqui).

Entre 26 de Abril e 9 de Maio teremos várias sessões de perguntas e respostas “porque parar o gás e travar o terminal de gás em Sines?”. Descobre nos eventos quais já estão marcadas!

Neste artigo poderás encontrar algumas respostas iniciais!

  • Porquê é que vamos parar o porto de gás?
  • Qual é o crime? Como vamos para-lo?
  • Porque é que a reivindicam 100% eletricidade renovável e acessível até 2025 em Portugal? E isto é possível?
  • Onde é o porto de gás e como vamos para lá?
  • Como me posso preparar e ter mais informação?
  • O que é que eu posso fazer na ação? Posso participar se não tenho experiência?
  • O que é eu posso fazer antes da ação?

Porquê é que vamos parar o porto de Gás?

Não é possível falar de gás fóssil (também conhecido como “gás natural”) em Portugal sem se falar do porto de Sines. Este é a porta principal de entrada de combustíveis fósseis no país. Em particular, o Terminal de Gás Natural Liquefeito (GNL), por onde chega mais de 90% do gás fóssil utilizado no território nacional. A maioria vem da Nigéria, USA e Qatar.

Este terminal é uma infraestrutura nevrálgica da indústria fóssil em Portugal. Travar o seu funcionamento é fechar com as nossas próprias mãos a torneira do capitalismo fóssil.

Descobre todas as razões para termos de parar o gás AQUI.

Descobre mais sobre o terminal de GNL e o que poderá ser uma transição justa para esta infraestrutura AQUI.

Qual é o crime? E como vamos para-lo?

Gás fóssil é metano, um gás que contribui 86 vezes mais para o aumento da temperatura global do que o CO2. A sua utilização é o mesmo que abrir gás numa casa que está a arder. É um crime continuar a usar combustíveis fósseis em plena crise climática.

É um crime mentir a todas as pessoas, vendendo gás fóssil como uma “solução”, para poder manter o poder sobre os sistemas energéticos, colocando os seus lucros e monopólios acima da sobrevivência da maioria das pessoas. É um crime utilizar gás fóssil para produzir eletricidade quando poderíamos estar a utilizar 100% energias renováveis.

É um crime expandir as infraestruturas de gás – a REN quer aumentar o Terminal de GNL – e alongar a nossa dependência de gás fóssil – a Galp assinou um novo contrato para trazer gás do Texas até 2047.

É um crime desviar fundos públicos para uma transição justa para projectos de gás fóssil e para os lucros dos acionistas. É um crime os governos continuamente apoiarem e incentivarem estas práticas, não garantindo a salvarguada da vida das pessoas e da civilização.

É um crime terem aumentado o preço de gás fóssil que levou simultaneamente a um aumento insuportável da inflação e a obtenção de lucros históricos pelas empresas fósseis. É um crime faturar lucros históricos quando não temos dinheiro para pagar comida, energia e casa.

É um crime expropriar comunidades para explorar gás, utilizando exércitos para matar e assustar as populações dessas localidades.

Quando tudo o resto falhou, cabe a nós a responsabilidade de travar estes criminosos. Quando os responsáveis por estes crimes sabem as consequências e escolhem continuar, não ficaremos imóveis a assistir. Com coragem, encontramos em nós a força para, em conjunto, para-los.

Porque é que a reivindicam 100% eletricidade renovável e acessível até 2025 em Portugal? E isto é possível?

A cada mês que passa e que não se implementa um plano de transição justa, implica que a transição será mais abrupta. Para podermos travar a crise climática, ie, travar o aumento de incêndios, ondas de calor, cheias e falta de acesso a água, é preciso deixarmos de usar gás fóssil.

Em Portugal, o gás fóssil é utilizado em grande maioria para produzir eletricidade. A energia é um direito, não um luxo. A eletricidade ser produzida 100% através de energias renováveis é muito barata, podendo até ser gratuita. O plano de paz e de soberania energética que trava as alterações climáticas e que permite sairmos da crise do aumento do custo de vida é 100% eletricidade renovável e acessível a todas as famílias até 2025, em Portugal.

É urgente libertarmo-nos do gás fóssil e (re)conquistarmos o sector energético, sendo este gerido pelas e para as pessoas. Cabe a nós garantir que pararmos o gás fóssil.

A execução desta medida passa por: aumentar a capacidade instalada de produção; adaptar a rede elétrica (smart grids); garantir a estabilidade e inércia da rede através de mais interligações e da energia hídrica. A sociedade tem capacidade e poder para se organizar e responder a esta crise de forma colectiva, gerando centenas de novos postos de trabalho públicos, e implementando democracia energética.

Sugerimos consultares o artigo “Eletricidade 100% renovável até 2025” de Empregos para o Clima.

Onde é o porto de gás e como vamos para lá?

Quando falamos do porto de gás referimo-nos ao Terminal de Gás Natural Liquefeito. Este é gerido pela REN e encontra-se no porto de Sines.
No dia 13 de Maio contaremos com autocarros a partir de Lisboa, Coimbra e Porto para levar e trazer as pessoas, dada a falta de transportes públicos acessíveis. Pedimos a contribuição de todas as pessoas para podermos cobrir o custo da viagem.

Descobre mais sobre ida e volta AQUI.

Como me posso preparar e ter mais informação?

Preenche o formulário para receberes toda a informação. Vêm às assembleias de ação (há presenciais e online). Participa numa formação em ação de massas para te preparares, integrares um grupo de afinidade e perceberes qual será o teu papel neste protesto.

É preciso igualmente leres o consenso de ação, o manual legal e participares na apresentação de ação e legal que acontecerá no início de Maio – todas as pessoas inscritas, receberam horas e local por email.

Mais informação de como te podes preparar AQUI.

O que é que eu posso fazer na ação? Posso participar se não tenho experiência?

Há muitos papeis diferentes: há bloqueios para fazer, caminhos por percorrer, cânticos para cantar, faixas e materiais artísticos para segurar, fotos para tirar, jornalistas para contactar, apoio legal por fazer, pessoas por cuidar. Há espaço para todos os tipos de experiência, destreza física e limitações legais. Vem à formação em ação de massas para descobrires o que podes e queres fazer.

O que é eu posso fazer antes da ação?

Queres pintar um mural político pelo o fim ao gás fóssil? Podes ajudar-nos a colocar cartazes, distribuir panfletos para alcançarmos mais pessoas? Queres ajudar-nos a organizar um debate sobre porquê parar gás na tua cidade ou bairro? Bora!

Temos faixas para pintar! Queres ajudar com a logística antes da ação? Queres ajudar com as redes sociais, design ou site? Queres escrever artigos de opinião? Há muitas formas de contribuíres 🙂

Preenche o formulário ou manda email.

Se não vais estar presente dia 13 de Maio mas queres ajudar em tudo o que acontece antes e depois podes junta-te à plataforma Parar o Gás! Para tal, preenche este (outro) formulário.